Drones do Facebook para levar net a todo o lado serão do tamanho de um Boeing 747


Não é novidade nenhuma que o Internet.org aka Facebook quer usar drones para povoar o Mundo com Internet. Mas agora um dos responsáveis pelo projecto, Yael Maguire, revelou alguns detalhes sobre a iniciativa. Maguire é director de engenharia no Facebook Connectivity Lab e falou na conferência 2014 Social Good Summit, promovida pelo Mashable.

Os drones do Facebook serão “do tamanho de um avião comercial, como o Boeing 747”, mas muito mais leves, garantiu Maguire. Quão mais leves? Para termos uma noção, um dos modelos no qual o Connectivity Lab está a trabalhar tem o comprimento de “aproximadamente 6 ou 7 Toyota Prius, mas o peso corresponde ao de quatro pneus de um único Prius”.

Estes drones (ou aviões) voarão a 20-30 km de altitude, um espaço aéreo que nem os aviões comerciais ocupam. “Existe um conjunto de riscos técnicos, mas existe também um conjunto de riscos legais, pois não existem regras para voos de aviões ou drones acima dos 30 km de atitude”, explicou Maguire.

Os drones serão não tripulados, e isso é mais um problema. Por um lado, é precisa tecnologia para manter o aparelho no ar durante vários meses (o recorde actual é de dois meses). Por outro, a lei obriga a ter um piloto por avião e não um piloto que comande 10 aviões. “Podemos ter uma pessoa por avião se queremos perceber como conectar o Mundo. Não podemos ter uma pessoa por avião se queremos conectar o Mundo.”

Yael Maguire e a sua equipa contam colocar o primeiro drone no ar em 2015. Serão voos experimentais, algures nos EUA (a localização não deverá ser revelada ao público). Se tudo correr bem, os equipamentos estarão operacionais dentro de 3-5 anos. Maguire reconhece que será um processo complexo, pois é precisa uma boa bateria, uma boa tecnologia solar e bons materiais para manter os drones operacionais durante meses seguidos.

O Facebook quer usar os drones (ou aviões) para colocar todo o Mundo online, começando por 21 países na América Latina, em África e na Ásia. Por exemplo, de acordo com Yael Maguire, mais de 15% da população da Índia não tem qualquer ligação à net.

Previous Terá a BlackBerry encontrado o passaporte para recuperar o sucesso?
Next iPhones que se dobram? As marcas reagiram, cada uma à sua maneira