‘Crescent Bay’ é o novo protótipo do Oculus Rift


A realidade aumentada está a ter desenvolvimentos interessantes. A Oculus – que recentemente foi adquirida pelo Facebook – realizou este fim-de-semana a sua primeira conferência para programadores, e apresentou nela o novo protótipo do Oculus Rift: chama-se Crescent Bay, é mais leve que o anterior e permite um tracking a 360º.

O Crescent Bay não é um developer kit (DK). Serve mais para a Oculus mostrar aquilo que anda a fazer, tal como o fez com o Crystal Cove no início deste ano. O Crescent Bay não será, assim, vendido a programadores, mas prepara-os para o próximo (e terceiro) developer kit.

Este protótipo tem um ecrã melhor que as versões anteriores do aparelho, e um par de colunas internas capazes de oferecer uma boa experiência de som 3D. Para além de mais leve e ergonómico, o Crescent Bay permite agora um tracking a 360º, isto é, a câmara exterior capta não só a parte de trás do aparelho como a frontal, permitindo às pessoas movimentarem-se no espaço sem constrangimentos.

oculusrift_crescentbay_02

oculusrift_crescentbay_03

Apesar de não ser uma versão de consumo, este protótipo é um passo em frente e já está mais próximo disso. Na conferência para programadores, a Oculus revelou ter já vendidos mais de 100 mil Rifts em mais de 130 países. Mas não avançou previsões quanto à comercialização do produto junto do grande público: “há um conjunto de desafios técnicos para resolver até chegar a uma versão dos Rift para o consumidor”, refere a empresa em comunicado, acrescentando que “o Crescent Bay é sem dúvida o melhor dispositivo de realidade virtual que alguma vez criámos”.

Antes do Oculus Rift, chegará ao mercado o Samsung Gear VR, desenvolvido pela sul-coreana em parceria com a Oculus.