Com uma subtil mudança, o Facebook ficou menos americano


Se estás em Portugal ou num outro qualquer país europeu, certamente notaste que o globo do Facebook – aquele em que estás sempre a clicar para veres as tuas notificações – mudou. Mas não deves ter percebido porquê.

O Facebook nasceu nos EUA e cresceu para todo o Mundo. Aquilo que começou por ser uma empresa norte-americana é agora uma marca global, que envolve milhões e milhões de pessoas, inclusive aquelas que não estão inscritas na rede social.

O Facebook abrange uma diversidade cultural, mas um pormenor não a reflectia: o emblemático e azul globo das notificações.

globofb_diversidadecultural

Até aqui, independentemente da localização, o globo mostrava o continente americano. Mesmo que estivesses na Europa, na África ou na Ásia. Agora não. Existem duas versões do globo: uma para a América (do Norte e do Sul) e outra para os restantes continentes.

A verdade é esta: a grande maioria das pessoas do Facebook não é do continente americano. Aliás, os norte-americanos e os canadianos nem 20% da rede social representam. Ainda assim, e apesar do crescimento nos EUA, no Brasil e no México, o Facebook está em forte expansão nas regiões asiáticas, como na Índia, na Indonésia e na China.

Com o Internet.org, Mark Zuckerberg pretende globalizar o acesso à Internet e com isso fazer o Facebook crescer no continente africano e reforçar a presença no asiático..

É ainda importante realçar que esta alteração no globo acontece numa altura de grande foco na região de Gaza, devido aos confrontos entre Israelitas e Palestinianos. Pode ter sido uma mera coincidência, mas os pormenores fazem a diferença, e o Facebook não pára de surpreender.

Previous 55 492 dólares é quanto vale a salada de batata mais famosa da Internet
Next Já podemos dizer que o Google+ está morto, ou ainda é cedo?