Gene antigo permite aos tibetanos respirarem sem dificuldade em grandes altitudes


Recentemente, foi descoberto um gene raro no sangue dos Tibetanos que lhes permite respirar sem dificuldade a mais de 4 000 metros de altitude. Este gene, segundo os investigadores, foi herdado de uma espécie humana muito antiga, os Denisovans – hominídeos da Sibéria – que habitaram a terra há mais de 40 000 anos atrás.

Acrescido a este facto, os investigadores dizem ser curioso o facto de os tibetanos, ao contrário de outros povos que vivam em regiões montanhosas, possuírem menos hemoglobina no sangue. Isto é, normalmente, face à falta de oxigénio no ar, os povos que vivem em grandes altitudes produzem mais hemoglobina no sangue (célula que transporta oxigénio nos globos vermelhos).

generespirartibete_ilustracao

Contudo, os Tibetanos parecem possuir menos hemoglobina que nós! Estes têm vários genes que os ajudam a usar quantidades menores de oxigénio, permitindo-lhes caminhar e correr sem qualquer dificuldade. O mais notável é este último gene chamado EPAS1, que regula a produção de hemoglobina no corpo.

É a primeira vez que um cruzamento entre diferentes espécies humanas ajudam os “homens modernos” a adaptarem-se ao meio ambiente. O irónico, segundo os investigadores, é que com este facto os Denosivans desapareceram para sempre.

Ilustração: Mariana Dias e Sara Lourenço