Vhils inaugura exposição em Julho no Museu da Electricidade


Dissecção é o título da nova exposição individual de Alexandre Farto aka Vhils, que de 5 de Julho a 5 de Outubro estará patente na Fundação EDP / Museu da Eletricidade, em Lisboa. A montagem está em curso, e poderá ser acompanhada via web.

Dissecção tem origem no latim dissectio, -onis; é o acto de dissecar, de cortar um corpo inerte para estudo, de modo a explorar e compreender os conteúdos que numa primeira camada não se adivinham.

Vhils conta fazer do www.vhilsfundacaoedp.com um verdadeiro de diário da montagem da sua nova exposição. No fundo, um making of com videoteasers e fotos de todo o processo de preparação de Dissecção.

A exposição ficará no Museu da Eletricidade de 5 de Julho a 5 de Outubro. A entrada será gratuita. Vhils irá mostrar uma série de novos trabalhos, que tem estado a desenvolver neste último ano. Dissecção será a primeira exposição individual que Alexandre Farto num museu português; os últimos anos têm sido para o artista uma roda-viva de viagens constantes pelos 5 continentes.
vhilsfundacaoedp_montagem02
vhilsfundacaoedp_montagem03
vhilsfundacaoedp_montagem04 vhilsfundacaoedp_montagem06 vhilsfundacaoedp_montagem05

Sobre a exposição:

Dissecção visa apresentar-se como uma reflexão em profundidade sobre o espaço urbano, tomando como ponto de partida vários dos elementos estruturais que o compõem. A intenção do artista é estabelecer um percurso através de vários ambientes interligados criados expressamente no espaço do museu que permite experienciar a passagem de uma dimensão de ruído, caos e saturação visual – que expressa a vida nas cidades contemporâneas – para um cenário neutro onde propõe-se realizar uma dissecação metódica desses mesmos elementos urbanos com recurso a vários dos suportes não convencionais e técnicas destrutivas que tem vindo a explorar no seu trabalho.

Objectos inerentes ao espaço urbano que nos falam da vida nas cidades são aqui recontextualizados e neutralizados de branco, eliminando contrastes, detalhes e demais marcas caracterizantes capazes de induzir em distracção.

Esta reflexão permite evidenciar o essencial contido nos elementos trabalhados por Vhils através de uma prática de dissecção segundo várias tipologias de corte que permite uma visão abrangente do todo, livre de interferências.

Esta operação de neutralização vem possibilitar uma leitura clínica e distanciada, uma de-composição crítica que deixa desvelar o que se encontra sob as várias camadas que compõem estes elementos familiares com os quais convivemos diariamente numa postura entorpecida e cauterizada. Ao confrontar o visitante com este acto de separação metódica, Dissecção visa fomentar uma melhor compreensão da realidade da cidade contemporânea e da complexa teia de influências recíprocas que dá forma e substância à relação entre esta e os seus habitantes.