Um vírus chamado Flappy Bird


O Flappy Bird foi considerado por muitos um jogo altamente viciante, principalmente pela dificuldade de superar os níveis. Ocupou durante semanas e semanas os tops das lojas digitais, e rendeu ao criador – Dong Nguyen – 50 mil dólares por dia. Hoje, e apesar do sucesso, o pássaro deixou de voar. Decisão do próprio criador.

Tudo começou em 2013

Em 2013, ninguém falava dele. Em 2014, todos o jogavam.

O Flappy Bird apareceu em meados de 2013, mas só no início deste ano – subitamente – se tornou um sucesso (e um vício), conquistando a primeira posição na tabela das apps mais descarregadas na iOS App Store e na Google Play Store. O jogo foi desenvolvido no Vietname só pelo programador Dong Nguyen, e em apenas 2 ou 3 noites – o que é deveras frustrante para quem sempre precisou de meses e meses, e de uma equipa de centenas de pessoas para colocar no mercado um jogo viciante e virais (um Angry Birds, por exemplo).

O objectivo do Flappy Bird era simplesmente fazer com que o pássaro passe entre os tubos. Para tal, era preciso desviar o animal voador de barreiras cilíndrica verdes. Nguyen refere que fez o jogo para ser impossível de ser jogado. E, na verdade, parece ter conseguido fazê-lo: muitos relatos de quem não conseguia superar o primeiro nível proliferaram-se na Internet, juntamente com palavras de angústia e de desespero.

O novo Angry Birds?

Não, muito mais viciante que o Angry Birds.

Ocupando os tops das lojas, o Flappy Bird revelou-se um jogo muito viciante. Todo o Mundo ficou viciado no Flappy Bird. Houve inclusive quem o apelidou de “o novo Angry Birds”. Mas a loucura foi ainda maior. Algo nunca antes visto. Nas últimas semanas, dezenas e dezenas de posts e tweets falavam deste jogo. Há quem acredite que uma das chaves do sucesso do Flappy Bird residiu, em parte, na incorporação do Facebook e do Twitter no mesmo com um botão Share, associado à hashtag #flapflap.

O jogo apresentava uma interface muito simples e rudimental. E nem os gráficos assim-assim afastaram os fãs (a versão Android, por exemplo, foi descarregada mais de 50 milhões de vezes). Nguyen não se preocupou com os ecrãs comercialmente designados como retina. Programou e desenhou o jogo para funcionar como um típico arcade dos anos 1990. (E parece que também não ligou muito à estabilidade, dado que a app crashava e crashava muitas vezes.)

50 mil por dia

Uma autêntica máquina de fazer dinheiro.

O Flappy Bird foi também uma máquina de fazer dinheiro. Nguyen recebeu 50 mil dólares por dia com as receitas de publicidade associadas ao jogo. “Quis fazer um jogo baseado em anúncios, porque esse modelo é muito comum no mercado japonês – neste os jogos são gratuitos e têm anúncios”, explicou o criador ao The Verge. Ora, com 50 mil dólares diários de receita, é fazer as contas: num mês, Nguyen já teria nos bolsos 1,5 milhões.

“Não consigo aguentar mais isto”

O fim de um jogo que era número 1 nas lojas e rendia 50 mil por dia.

Todavia, mesmo com tudo aparentemente a correr bem, Dong Nguyen decidiu ontem retirar o jogo das lojas. “Não consigo aguentar mais isto”, escreveu Nguyen, este sábado, num tweet. “Considero o Flappy Bird um enorme sucesso meu. Mas ele arruina também a a minha simples vida. Por isso, agora detesto-o”, acrescentou num outro tweet. Nguyen disse que ia retirar o jogo da iOS App Store e da Google Play Store no domingo, às 17 horas. E fê-lo. Quem tem o jogo no smartphone ou tablet continuará a tê-lo até o desinstalar.

Dong Nguyen pediu desculpa aos jogadores, garantiu que “isto não está relacionado com questões legais”. Disse também que não pretende vender os direitos do Flappy Bird a ninguém e adiantou que vai continuar a produzir outros jogos.

Apesar de Nguyen negar questões legais, dois amigos avançaram que a Nintendo terá enviado uma carta ao criador de Flappy Bird, já que este se inspirou no jogo Super Mário desta empresa. Porém, a empresa japonesa negou qualquer intenção de avançar para um processo legal.

Por outro lado, Nguyen está a receber várias mensagens no Twitter a questionar a decisão, que foi tomada pouco depois de ter anunciado que iria desenvolver o mesmo jogo para Windows Phone, pelo que os seus seguidores estranharam o revés.

“Do criador de Flappy Bird…”

Uma jogada de marketing genial, que será revelada no próximo jogo.

Entretanto, há quem olhe para Dong Nguyen como um génio do marketing. Ao surpreender o Mundo no sábado com o aviso da eliminação do jogo, Nguyen conseguiu aumentar ainda mais o buzz em torno do mesmo e levar, certamente, muita gente a descarregá-lo.

Além disso, quando Nguyen lançar um novo jogo, o hype em torno do mesmo será extraordinário (“do criador de Flappy Bird…”). Muitos irão descarregar o jogo (ou comprá-lo), com medo que ele a qualquer momento seja apagado.