G Flex: o smartphone curvo e flexível da LG chegou a Portugal


A LG escolheu o glamoroso espaço Kais, em Lisboa, para apresentar ao mercado português um smartphone único: o LG G Flex. O ecrã curvo de 6 polegadas, a capa traseira auto-regenerativa e a câmara de vídeo Ultra HD fazem do G Flex um interessante e apetecido topo de gama. Custará 899 euros.

O processador é o Qualcomm Snapdragon 800; é um quad-core de 2.26 GHz. Juntamente com uma memória RAM de 2 GB, faz deste telemóvel um aparelho incrivelmente rápido e fluído, capaz de filmar em Ultra HD e de correr duas apps em simultâneo no ecrã, por exemplo.

O LG G Flex tem duas câmaras: uma frontal de 2.1 megapixeis, e um traseira que para além de fazer fotos de 13 megapixeis, consegue filmar em Ultra HD (isto é, 4K). Todavia, o G Flex não é capaz de reproduzir vídeos Ultra HD, dado a potencia do processador não ser suficiente. Aliás, só o Snapdragon 805 é que tornará o 4K uma realidade no mobile.

O ecrã é curvo e flexível. Esta é capaz de ser a característica mais notável neste smartphone. Medindo 6 polegadas na diagonal, é uma tela POLED de alta definição, capaz de criar uma experiência mais imersiva de visualização de fotos e vídeos, comparativamente às telas planas convencionais.

A diferença é, na verdade, notória, conforme pudémos experimentar através do QTheatre, o hub que reúne as fotos e os vídeos armazenados no telemóvel e que dá acesso também ao conteúdo do YouTube. É uma espécie de media center, no fundo. O QTheatre activa-se através do lock screen. Deslizando dois dedos sob o ecrã em sentidos opostos, como se fosse para dividir o telemóvel ao meio, abrindo um buraco ao meio.

Para além da melhor conforto quando encostado ao ouvido do utilizador durante as chamadas, a curvatura vertical do ecrã também oferece teoricamente um melhor som. Colocando o LG G Flex em cima de uma mesa, o som sai das colunas na parte de trás e é reflectido pela mesa, o que faz aumentar o volume do mesmo.

O LG G Flex, cuja bateria de 3500 mAh é curva, é flexível. Isto é, pressionando as traseiras do aparelho, este fica plano regressando segundos depois ao estado curvo normal, sem qualquer dano no visor ou em qualquer outro componente. Outra característica interessante é a capa traseira que consegue regenerar-se de pequenos riscos provocados pelo uso do dia-a-dia. Na práctica, se a capa for riscada superficialmente, dois minutos depois é bem capaz de estar como nova!

O LG G Flex é acima de tudo um smartphone enorme, algo desconfortável nas mãos, nomeadamente para quem está habituado às 4 polegadas do iPhone. No entanto, não há de ser algo a que, depois de alguma utilização, não nos habituemos. O smartphone tem 160,5 x 81,6 x 8,3 milímetros e pesa 177 g.

Relativamente ao software, corre uma versão do Android 4.2.2 Jelly Bean adaptada ligeiramente pela LG. Para além do QTheatre, referido em cima, existe, por exemplo, o Dual Window para usar duas apps em simultâneo (por exemplo, clica-se num link no bloco de notas e o Chrome abre com o website correspondente).

O LG G Flex suporta 4G/LTE, NFC e Bluetooth 4.0. O LG Flex está disponível em Portugal por 899 € (em versão única de 32 GB de armazenamento). O G Flex não é um telemóvel para as massas, é mais uma prova da tecnologia e inovação de que a marca é capaz; dirige-se principalmente aos entusiastas por tecnologia, mais conhecidos por geeks.

O ano de 2013 foi muito positivo para LG Portugal com resultados de crescimento na ordem dos 14% de faturação na área de mobile. A mesma área registou assim um crescimento de 230% face a 2012. O ano 2014 será igualmente ambicioso. A expectativa é de continuar a crescer e manter a quota de mercado acima dos 15% no segmento dos smartphones.