Artistas já podem vender merchandise no Spotify


O e-commerce chegou ao Spotify. Todos os artistas que distribuem música através do serviço já podem vender merchandise aos fãs e o Spotify não leva qualquer comissão pelas vendas. Para já, só os utilizadores ingleses podem comprar.

Os artistas só têm de ter uma conta no ArtistLink da Topspin, uma empresa que desenvolve ferramentas para os artistas promoverem o seu trabalho e construírem bases de fãs, e que se juntou ao Spotify para concretizar esta funcionalidade de s-commerce.

Na página dos artistas no Spotify, passa a aparecer em baixo das músicas mais tocadas pósteres, t-shirts, bonés e todos os itens que os artistas escolheram comercializar.

O Spotify não retira qualquer proveito das vendas, nem tão pouco a Topspin. Não existem comissões, portanto. O merchandise foi a forma encontrada pela empresa sueca para valorizar ainda mais o serviço de streaming, atraindo artistas e editora, que para além de lucrarem com o stream da música, agora também lucram com venda de produtos.

Para já, só nos países onde se fala inglês os utilizadores podem comprar o merchandise, mas qualquer banda, independente da geografia, o pode vender. Falamos dos EUA, do Reino Unido, da Irlanda, da Austrália, da Nova Zelândia, da Dinamarca, da Suécia, da Noruega e da Islândia.

O Spotify tem hoje mais de 24 milhões de utilizadores activos mensalmente, dos quais 20%, isto é, 6 milhões são subscritores do Premium. O catálogo inclui mais de 20 milhões de músicas, com 20 mil a serem adicionadas todos os dias; o Spotify está disponível em 55 mercados.