Robôs voadores a entregar encomendas? Não é ficção científica, diz a Amazon


A Amazon está a trabalhar num novo sistema de entrega com recurso a veículos aéreos não tripulados (drones). Intitula-se Amazon Prime Air e permitirá colocar as encomendas nas mãos dos clientes em 30 minutos ou menos. “Parece ficção científica, mas o não é”, garante a gigante do comércio electrónico.

A equipa de R&D da Amazon tem estado a testar o futuro dos serviços de entregas da empresa. Chama-se Amazon Prime Air e como o próprio nome indica funciona no ar. “O objectivo deste novo sistema de entregas é colocar as encomendas nas mãos dos clientes em 30 minutos ou menos usando veículos aéreos não tripulados”, explica a Amazon no website.

Jezz Bezos, o CEO da Amazon, mostrou ontem os protótipos do projecto no programa 60 Minutos da CBS. Bezos acredita que dentro de 4 ou 5 já será possível entregar encomendas de pequenas dimensões através deste sistema. Há que esperar que a tecnologia amadureça e que as autorizações regulamentares sejam feitas. “São efectivamente drones mas não há qualquer razão para que não sejam usados como veículos de distribuição”, disse na entrevista.

O drones, também conhecidos por octocopters, voam directamente do centro de distribuição da empresa para a casa do cliente. “São efectivamente drones mas não há qualquer razão para que não sejam usados como veículos de distribuição”, referiu Bezos. Os octocopters têm um motor eléctrico e conseguem transportar objectos até 2 quilos (o que corresponde a cerca de 86% das encomendas  actuais da Amazon). Os robots deslocam-se através de coordenadas GPS e não são telecomandados.

O Amazon Prime Air terá um alcance de 16 quilómetros de distância a partir dos centros de distribuição que a empresa detém nos Estados Unidos. “O maior desafio é conseguir colocar [nos veículos] toda a segurança e sistemas que precisamos para dizer: isto não pode aterrar na cabeça de alguém que está a passear na rua”, disse.

A Amazon tem a visão de vender tudo a todos e já começou a fazer entregas de produtos frescos e de mercearia em duas cidades dos EUA (Seattle e Los Angeles). Com 225 milhões de clientes em todo o mundo, faz chegar as encomendas através de 96 centros de distribuição a nível global. O primeiro livro encomendado online foi enviado em 1995.