Adeus, TMN


É já no início de 2014, em meados de Janeiro, que diremos adeus à marca TMN. A Portugal Telecom transfirará definitivamente todos os produtos e serviços móveis para a MEO, dando continuidade à estratégia de convergência iniciada este ano com o lançamento do M4O.

A marca TMN foi lançada em 1989 para comunicar o primeiro operador de telecomunicações móveis em Portugal. 25 anos depois, tem um fim. Tudo começou no início de 2013 quando Zeinal Bava apresentou o pacote M4O, com televisão, internet, telefone fixo e telemóvel, colocando a marca MEO no centro da oferta (inclusive na vertente do telemóvel, que era do domínio da TMN).

Desde aí, foi-se assistindo à morte da TMN. A marca saiu dos festivais de Verão – mais concretamente do Sudoeste e do Marés Viva. A Rádio SWtmn passou a Rádio MEO SW. A marca perdeu ainda relevância nos estádios de futebol – quer em Alvalade, quer na Luz, temos bancadas da MEO e da Moche. A MEO, entretanto, deu o naming ao Pavilhão Atlântico, que passou a MEO Arena. O surf passou para a marca Moche, destinada aos targets mais jovens. A TMN mantém-se apenas presença nas camisolas dos jogadores da bola e na sala TMN Ao Vivo, que todas as semanas recebe concertos e outros espectáculos.

O MEO passou a estar associado a telemóveis e a comunicações móveis, mas outra marca foi ganhando protagonismo: a Moche. Nasceu como Moche TMN, mas ganhou independência em Março de 2012 com um rebranding espantoso e uma nova atitude. A Moche é hoje a marca da Portugal Telecom para telecomunicações para jovens com menos de 25 anos.

Segundo dados da MediaMonitor, até Novembro de 2013, o investimento publicitário do MEO subiu 33,6% e o da TMN caiu 11,6%.