A Pepsi sueca atropelou o Ronaldo, e os portugueses não gostaram


Recentemente, na Suécia, a Pepsi publicou no Facebook imagens de um boneco do Cristiano Ronaldo trespassado por agulhas e amarrado a uma linha de comboio, na sequência do decisivo Portugal-Suécia desta quarta. Os portugueses não gostaram. A marca pediu desculpas.

A Pepsi tem uma presença global no Facebook, isto é, as páginas de cada país estão juntas numa só. Desta forma, pesquisando por Pepsi no Facebook em Portugal ou na Suécia, o resultado que aparece é o mesmo, mas o conteúdo que aparece em cada um dos países é diferente, é o conteúdo local.

Foi na Suécia, na página sueca, que a Pepsi partilhou não 1, não 2, não 3, não 4, mas 5 imagens sobre o Cristiano Ronaldo a propósito do jogo de apuramento para o Mundial 2014 entre a selecção portuguesa e a sueca, que decorreu esta quarta na Suécia. As 5 imagens apresentavam um crescente tom agressivo, tendo sido a última delas a causar mais polémica. Nela, aparecia um boneco de Cristiano Ronaldo amarrado e deitado numa linha de comboio; no texto lia-se: “Vamos passar por cima de Portugal”

pepsisuecia_ronaldo_05

As restante quatro imagens, que antecederam essa, mostravam o mesmo boneco, mas num tratamento de vodu.

pepsisuecia_ronaldo_01

pepsisuecia_ronaldo_02

pepsisuecia_ronaldo_03

pepsisuecia_ronaldo_04

As cinco imagens chegaram a Portugal e as mensagens de indignação rapidamente se proliferaram pelas redes sociais, nomeadamente o Facebook e o Twitter. Entre muitos “fuck you, Pepsi”, constantes referências à Coca-Cola, inúmeros “nunca mais bebo Pepsi” e a alguns gritos de força por Ronaldo (principalmente durante o jogo), apareceram piadas e sátiras.

Uma delas é por Armando Alves, Head of Social da Fullsix Portugal. A outra foi feita pela agência de publicidade Orange Popcorn.

pepsisuecia_ronaldo_reaccao01

pepsisuecia_ronaldo_reaccao02

A Pepsi Portugal não respondeu à Pepsi Suécia. Esta foi obrigada pela Pepsi-mãe a remover todos os posts e ambas partilharam um pedido de desculpas dirigida aos fãs da marca e principalmente aos fãs da Selecção Nacional de Futebol e ao Cristiano Ronaldo. No fundo, não existiu uma resposta da Pepsi Portugal, nem da Pepsi Suécia, mas sim uma resposta da Pepsi.

Esta é a história de uma marca global afectada por uma acção local, que deve servir de case-study para quem gere marcas presentes em vários países. Mais uma vez está provado o poder incrível da web, em particular, o das redes sociais.

Previous Quando o uísque da Dewar’s e a poesia de Bukowski se encontram...
Next Novo processador da Qualcomm leva o 4K para o bolso