Galaxy Round, um smartphone com ecrã curvo


É o primeiro telemóvel do Mundo com um ecrã curvo. Chama-se Galaxy Round, tem o selo de “inovação” da Samsung e está a ser vendido unicamente na Coreia. O ecrã, esse, é um Full HD Super AMOLED de 5,7 polegadas.

O Samsung Galaxy Round tem 7,9 mm de espessura, pesa 154 g e corre Android 4.3 (a versão mais recente do Android, até ao momento). O processador é quad-core de 2.3 Ghz, a RAM é de 3 GB e o armazenamento de 32 GB. Quanto a câmaras, a frontal ten 13 megapixeis e a frontal tem 2. O ecrã é Super AMOLED, tem 5,7 polegadas e uma resolução 1080p Full HD.

galaxyround_1

galaxyround_2

Uma das funcionalidades deste Galaxy Round chama-se Roll Effect. Basicamente, inclinando o telemóvel, podemos ver a hora e a data, as chamadas não atendidas e o nível da bateria no ecrã previamente desligado.

Outra característica é o Bounce UX: se inclinarmos o telemóvel para a esquerda, a música muda para a anterior; se o inclinados para a direita, a música muda para a seguinte. O mesmo conceito se aplica para fotos e vídeos: o Side Mirror permite-nos navegar num álbum inclinando apenas o telemóvel para a esquerda ou para a direita.

Quanto a características, o Galaxy Round é muito parecido com o smartphone Galaxy Note 3. Aliás, os dois têm um ecrã de igual dimensão: 5,7 polegadas. Quanto a funcionalidades, este telemóvel de ecrã curvo pouco traz de novo. O Galaxy Round é, no fundo, o que acontece quando a Samsung quer inovar, mas não sabe como, acabando por criar coisas inúteis. Quem é que quer um ecrã curvo num telemóvel?!

galaxyround_3

galaxyround_4

O ecrã curvo é uma inovação importante? Ou é só a Samsung a fazer aquilo que melhor sabe fazer: lançar produtos atrás de produtos para mostrar que o faz mais rápido e eficientemente que qualquer outra marca? Talvez sejam as duas coisas.

Na verdade, a Samsung tem um ritmo de lançamento de novos produtos acelerado. Nos últimos três meses, novos tablets Galaxy Tab (de 7, de 8 e de 10 polegadas) chegaram. E recentemente foi apresentado o smartphone gigante da marca (5,7 polegadas), o Galaxy Note 3, juntamente com o smartwatch Galaxy Gear. E no início do ano, ficamos a conhecer o smartphone Galaxy S4, acompanhado do Galaxy S4 Mini (uma versão mais compacta), do Galaxy S4 Active (à prova de água, e resistente às agressões exteriores) e do Galaxy S4 Zoom (com zoom óptico 10x).

É notável o esforço por parte da Samsung de lançar tanta coisa no mercado e de querer servir cada nicho com um produto (veja-se a diversidade de produtos que oferece no que ao mobile diz respeito). Por seu lado, a Apple aposta em produtos para as massas (tem dois tablets, o iPad e o iPad mini; e tem um só iPhone, o iPhone) e apresenta-os em alturas mais ou menos pré-definidas (já sabemos diante mão que há novo iPhone em Setembro, e novo iPad em Março ou em Outubro – ou nos dois).

Ainda assim, o ecrã táctil curvo é um avanço notável em termos tecnológicos; o Galaxy Round é, na verdade, o primeiro resultado comercial no campo dos ecrãs OLED flexíveis.

Os ecrãs com OLED (isto é, Organic Light Emitting Diode) são feitos com pequenos semi-condutores electroluminescentes de 100 nm de espessura. Estes semi-condutores são feitos com vidro. Sendo este substituído por plástico flexível como tereftalato de polietileno, o resultado é um ecrã OLED flexível. O ecrã curvo do Galaxy Round é de AMOLED flexível, uma variante do OLED; AMOLED significa Active Matrix Organic Light-Emitting Diodes.

Na conferência CES, em Janeiro deste ano, a Samsung mostrou um protótipo de um smartphone com OLED flexível, capaz de ser dobrado nas pontas.