Facebook Home abre as portas ao Instagram, ao Flickr, ao Pinterest e ao Tumblr


O Facebook Home pode não ter corrido bem nestes primeiros 5 meses, mas isso não fez Zuckerberg baixar os braços. A rede social disponibilizou esta semana uma nova versão da app, que permite adicionar o Instagram, o Flickr, o Pinterest e o Tumblr, para além do Facebook, claro, ao Cover Feed. Será a solução?

O Facebook Home introduzido em Abril falhou. O Facebook relançou o produto esta semana com um novo ícone, um novo nome e uma nova estratégia associada. O Facebook Home chama-se agora simplesmente Home. O ‘Facebook’ desapareceu do nome e do ícone, que agora é uma casa e não um F. Tudo indica que a estratégia da rede social para o Home passa agora por torná-lo uma app independente, à semelhança do Instagram, mas associado à marca Facebook (ainda que discretamente).

Até aqui, o Cover Feed mostrava unicamente conteúdo do Facebook, isto é, posts dos nossos amigos e posts das páginas e perfis que seguimos. No entanto, Mark Zuckerberg percebeu que o Home tinha de oferecer mais, que não podia estar limitado ao Facebook. Assim, o Instagram, o Flickr, o Pinterest e o Tumblr já podem ser adicionados ao Cover Feed. Cada pessoa adiciona os serviços que pretende. Pode inclusive tirar o Facebook do Cover Feed, tornando-o, por exemplo, um feed só com as fotos do Instagram.

fbhome_apps

Abrindo-o a serviços externos, o Facebook está a cumprir a promessa de que o Home não se foca nas apps, mas sim nas pessoas. Por outro lado, isto prova que a rede social soube ouvir as queixas dos utilizadores, nomeadamente quanto ao facto de um lock screen só com conteúdo do Facebook ser algo muito limitado.

Mark Zuckerberg continua a acreditar no Home. Ele quer que o Facebook tome conta do lock screen de cada smartphone Android e tornando o Home mais útil para as pessoas, abrindo-o ao Instagram ou ao Tumblr, por exemplo, é capaz de o conseguir. E claro, mesmo que só tenhamos o Flickr ou o Pinterest no Home, o Facebook continua lá. Como? Através, por exemplo, do atalho para a app Facebook Messenger. Se o Facebook conseguir tornar-se o home screen dos nossos telemóveis, tal como já se tornou a homepage de muitos computadores, isso é uma grande mais valia para a empresa.

O Facebook nunca revelou os números do Home; Zuckerberg disse apenas que a adesão estava a ser menor que a esperada. Através do Google Play, sabemos que a app foi instalada entre 1 milhão e 5 milhões de vezes (um mês depois de ter sido anunciada, isto é, em Maio, o número de instalações rondava o 1 milhão).