Burger King lança campanha arriscada em social media para promover novas batatas fritas


No final de Setembro, o Burger King introduziu as Satisfries, umas novas batatas fritas com menos gordura e menos calorias que as actuais. Depois tentou promovê-las no social media… Mas a coisa não parece estar a correr lá muito bem. Ou será que está?

Segundo a marca, as novas batatas (as Satisfries) têm 40% menos gordura e 30% menos calorias que as anteriores. “Burger King is the first quick service restaurant to serve this unique reduced fat, reduced calorie French fry that has only 190 calories, 8 grams of fat and 210 milligrams of sodium for a value size serving”, refere em comunicado.

As Satisfries chegaram às lojas norte-americanas a 24 de Setembro. Em jeito de teaser, o Burger King espalhou pelas cidades de Nova Iorque, Los Angeles e Chicago, nas áreas mais movimentadas, pacotes gigantes com 8 batatas fritas no seu interior. A ideia foi despertar a atenção das pessoas, levando-as a interagirem com os pacotes e a tirarem-lhes fotos para publicar nas redes sociais com a hashtag #WTFF.

Mas isto não funcionou tão bem como previsto. Para a Burger King, #WTFF significa  What The French Fry, mas para a maior parte das pessoas essa hashtag tem outro significado: What The Fucking Fuck. E isso tornou a mensagem da marca confusa, pois #WTFF é já largamente usada pelos utilizadores, principalmente no Twitter.

Numa pesquisa rápida na rede onde nasceram as hashtags (o Twitter, claro), verificamos que são poucos os posts sobre as Satisfries, tendo a maioria sido publicados pela própria marca; a grande parte são coisas não relacionadas.

Mas a história não se fica por aqui. No início desta semana, a marca mudou o nome de Burger King para Fries King. Mudou-o no Facebook e no Twitter e também numa loja algures nos EUA (ou em várias?).

A fictícia mudança, apoiada pela hashtag #FRIESKING, confundiu muitas pessoas (afinal é Burger King ou Fiesking King?) e chateou outras, fieis ao “antigo” nome.

Se a hashtag #WTFF mostrou que os senhores do social media da Burger King não fizeram o seu trabalho de casa (faltou um pouco de pesquisa), a mudança de nome até é uma campanha interessante, conseguindo gerar buzz. A pergunta: no fim de contas, será este buzz positivo para a marca?