Facebook avança para a TV


Mark Zuckerberg continua de olho bem aberto relativamente ao Twitter. Depois das hashtags, dos embedded posts e dos trending topics, o Facebook anunciou duas novas ferramentas para que os canais de televisão possam integrar nas suas emissões o que é dito e comentado na rede social.

Se alguma coisa interessante acontece, as pessoas falam disso no Facebook. Seja o programa de TV mais visto, um evento desportivo importante ou as últimas notícias do Mundo, as conversas acontecem cada vez mais no Facebook e este tem estado atento a isso. Nos últimos meses, a rede social introduziu as hashtags, os embedded posts e os trending topics, de forma a potenciar a discussão em torno do que se passa no Mundo, no campo do entretenimento, do desporto, da economia, da política…

Ontem, o Facebook lançou duas novas ferramentas para os media – em particular, os media televisivos – integrarem as conversas que acontecem na rede social nas suas emissões, nos seus sites, nas suas páginas de papel, etc. Sabe-se que entre 88 e 100 milhões de pessoas estão no Facebook durante horário nobre da TV, isto é, entre as 20 e as 23 horas.

Uma destas novas ferramentas chama-se Keyword Insights API e agrega todos os posts que mencionam um termo específico num determinado intervalo de tempo. Essa agregação pode ser anónima (isto é, com os nomes dos autores dos posts ocultados) e com base no sexo, na idade e/ou na localização. Por exemplo, um canal generalista pode num programa qualquer mostrar quantas pessoas falaram sobre um assunto polémico; e pode ainda revelar qual o assunto mais comentado pelo público feminino, sobre o que é que os jovens dos 24 aos 25 anos andam a falar, ou o que andam os lisboetas a dizer.

Por seu lado, o Public Feed API – a outra ferramenta – reúne num feed em tempo real os posts públicos (de páginas e perfis) que contém uma palavra específica. Por exemplo, um canal de notícias pode incorporar na sua emissão aquilo que as pessoas no Facebook estão a dizer, em tempo real, sobre uma notícia de última hora.

O Facebook está a seguir os passos do Twitter, procurando chamar à atenção dos media. Estas duas novas ferramentas estão disponíveis nesta primeira fase para um pequeno grupo de empresas, como a NBC, a CNN ou o Buzzfeed.