As palavras e as lágrimas de Steve Ballmer no adeus à Microsoft


Desde 2000 no cargo de CEO da Microsoft, Steve Ballmer está de saída da empresa pela qual sempre manifestou paixão e entusiasmo. Esta semana, no encontro anual da empresa, Ballmer despediu-se de milhares de funcionários, dirigindo-lhes um emotivo e intenso “obrigado”.

Foi a 11 de Julho de 1980 que Steve Ballmer chegou à Microsoft, empresa que Bill Gates fundara 5 anos antes com Paul Allen em Albuquerque, nos EUA. Ballmer foi o primeiro gestor contratado por Gates, o então CEO. 20 anos depois, em Janeiro de 2000, chegou à presidência executiva da multinacional, substituindo Gates no cargo. Agora, deixou o cargo. Steve Ballmer, um dos homens mais influentes da história da tecnologia, está de saída: mantém-se no cargo até ser encontrado o novo presidente executivo, o que deverá acontecer lá para meados de 2014.

Esta semana, num encontro com milhares de funcionários da empresa, Steve Ballmer despediu-se. Foi um adeus intenso, eléctrico e emocional, principalmente para o executivo cessante, que não conseguiu esconder algumas lágrimas no rosto. “Vocês trabalham na melhor empresa do Mundo”, disse Ballmer, que vê a Microsoft como uma empresa importante, inovadora e com visão de futuro, que revelará “a próxima grande coisa” (o “the next big thing”), mudando o Mundo novamente.

Steve Ballmer terminou com um agradecimento colectivo – “obrigado”, gritou – e com o tema “I’ve Had The Time of My Life”, de Bill Medley e Jennifer Warnes, que integra a banda sonora do filme Dirty Dancing, de 1987. Antes de sair do palco, cumprimentando energeticamente alguns dos funcionários, Ballmer disse: “eu tive o tempo da minha vida”.

A indústria da tecnologia nunca esquecerá ninguém como Steve Ballmer, nem muito menos a sua peculiar postura nos eventos da empresa, cheia de energia e de emoção, aplaudida por uns, gozada ou criticada por outros. A verdade é que Ballmer mostrou sempre um entusiasmo pela Microsoft, empresa que liderava há quase 14 anos.

Enquanto CEO, Steve Ballmer viu a gigante tecnológica crescer e lucrar. Acompanhou o sucesso do Windows XP e assistiu ao fracasso do Windows Mobile, que mais tarde foi relançado como Windows Phone. Durante o seu “mandato”, aconteceu ainda um erro chamado Windows Vista – o sistema operativo sucessor do XP e que antecedeu o respeitado Windows 7 –, o lançamento do controverso Windows 8, a apresentação do Surface e a compra do negócio de telemóveis da Nokia.