Portugal prepara a criação de uma agência espacial em 2017


Pode parecer uma ideia lunática, mas foi com os pés bem assentes na Terra que o Ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior a anunciou: “Estamos a preparar, com as empresas, naturalmente, a criação de uma agência espacial”, disse Manuel Heitor à agência Lusa.

“Para nos lançarmos para uma maior e uma mais profunda actividade [na área do espaço], temos de começar a ir para os grupos de países que têm uma agência espacial, com profissionais”, sustentou.

Segundo o ministro, que falava à agência Lusa na véspera do conselho ministerial da agência espacial europeia ESA, na Suíça, a “evolução no esquema de governança” da actividade espacial, em Portugal, com a criação de uma agência espacial, “vai ser um dos principais desafios em 2017”.

Manuel Heitor salientou que, “nos últimos 15 anos”, dinamizou-se a actividade espacial em Portugal, “sobretudo a actividade de empresas que não existiam em Portugal e a de empresas que cresceram”. “Agora, que já demos provas, queremos alargar a participação, lançar novos desafios para o Atlântico, e, para isso, precisamos de ter uma gestão e um sistema de governança mais adequado e moderno”, defendeu.

À Lusa, o presidente da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), Paulo Ferrão, que acompanha o ministro na deslocação, na quinta e sexta-feira, à Suíça, afirmou, igualmente sem pormenorizar, que, “seguramente, no próximo ano”, será estudada “a viabilidade da criação de uma agência espacial” em Portugal. A concretização do que disse ser ainda uma ideia está “dependente de vários acontecimentos”, como a criação, nos Açores, do Centro de Investigação Internacional do Atlântico.

Portugal é membro da ESA desde 14 de Novembro de 2000. A actividade científica e empresarial nacional no sector espacial é actualmente gerida num departamento da FCT, o Gabinete do Espaço. No conselho ministerial da ESA, que se realiza esta quinta e sexta-feira, em Lucerna, na Suíça, têm assento ministros dos países-membros com a tutela científica, tecnológica ou industrial.

Texto de: Lusa/Shifter

Previous 8 programas a não perder na nova SBSR FM
Next J. Cole anuncia álbum e lança documentário intitulado ‘Eyez’