Carros autónomos em teste em Lisboa


Lisboa vai receber, com Madrid e Paris, um projecto que pretende testar a condução autónoma nas estradas da Europa, mais concretamente em áreas metropolitanas – o AUTOCRIS.

O AUTROCRIS pretende “facilitar a circulação dos veículos autónomos em núcleos urbanos através do desenvolvimento de sistemas inteligentes de transporte baseados em Connected and Automated Driving (C-ITS), que permite a comunicação e o intercâmbio seguro de dados entre veículos, utilizadores e infra-estruturas, utilizando o standard de comunicações europeu ITS-G5”, explica o comunicado de imprensa. De forma simples, a ideia é encontrar formas inteligentes de os veículos sem condutor se enquadrarem na cidade enquanto sistema.

A iniciativa, que tem orçamento de 2,6 milhões de euros e financiamento do programa europeu CEF (Conecting Europe Facility), é liderada pela Indra, uma multinacional de tecnologia e sistemas de informação, e conta com a participação de seis entidades portuguesas, espanholas e francesas: a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Universidade de Coimbra (UC), o Instituto Pedro Nunes (IPN), a Dirección General de Tráfico (DGT), a Universidade Politécnica de Madrid (UPM) e a Inventeurs du Monde Numérique (INRIA).

autocrislisboa_02

Veículos de condução autónoma serão testados em ambiente real ao longo de 2017 e 2018 nas três cidades europeias, consideradas as maiores do denominado “Corredor Atlântico”, formado por vias consideradas prioritárias para o desenvolvimento da infra-estrutura de transportes europeia. Em Lisboa, as experiências deverão acontecer nas Avenidas Marginal e Brasília, duas vias que ligam a cidade de Lisboa à autoestrada A36 e a outras infraestruturas de transporte, como barco e comboio.

O AUTOCRIS contempla a conjugação de conectividade móvel e a automatização, “centrando-se especialmente na segurança rodoviária e nas alterações necessárias na infra-estrutura e nos centros de controlo de tráfego”. Um dos o objectivos é ajustar as regras de trânsito ao novo paradigma, garantindo a convivência segura dos carros autónomos com os restantes veículos e a sua correcta circulação em todo o tipos de estradas nos diferentes países europeus.

O três testes piloto do AUTOCRIS – Lisboa, Madrid e Paris – são dos primeiros a acontecer na Europa. A análise de resultados obtidos visará a elaboração de recomendações.

Em Novembro, o Governo português anunciou a regulamentação dos carros autónomos no país. “Queremos criar legislação que permita usar as ruas de Portugal para pilotos, para testes de carros autónomos”, adiantou na altura João Vasconcelos, numa entrevista à Antena 1. “Não estou satisfeito que a maior plataforma de equity crowdfunding da Europa que é a Seedrs, que movimentou no ano passado 120 milhões de libras e que tem um fundador português, que tem uma equipa em Portugal, tenha sede em Londres porque o Reino Unido é um país onde a regulação mais rapidamente avançou. Isso não é admissível”, acrescentou.

Previous O facejacking da Antena 3 que não foi, afinal, um facejacking
Next “Fiona” exige igualdade salarial com “Frank”