Obama diz que “não pode” perdoar Snowden apesar de poder fazê-lo


Uma campanha que pedia ao Governo norte-americano o perdão de Edward Snowden, lançada em conjunto com o filme de Olive Stone, sobre o ex-funcionário da NSA não teve o efeito esperado: Obama diz que não pode perdoar uma pessoa que não passou pelos tribunais.

Numa entrevista ao Der Spiegel, o maior jornal alemão, o ainda presidente dos Estados Unidos respondeu assim à pergunta se perdoaria Snowden: “Não posso perdoar alguém que não tenha passado pelos tribunais antes e dado a cara, pelo que este é um assunto que não comentaria neste momento.”

Obama acredita que as revelações de Snowden levaram algumas “preocupações legítimas”. O presidente norte-americano defende que, apesar disso, “a forma como fez as coisas não respeita os procedimentos e práticas da nossa comunidade de inteligência”. E acrescenta: “Se todos optassem pela mesma abordagem, então seria muito difícil termos um governo organizado ou qualquer tipo de sistema de segurança nacional.”

Apesar de Snowden e os seus apoiantes terem pedido o perdão, Barack Obama esclareceu não estar disposto a concedê-lo tão facilmente. “No momento em que o Sr. Snowden quiser apresentar-se às autoridades legais e apresentar os seus argumentos ou deixar os seus advogados fazê-lo, então acho que essas questões entram em jogo. Até essa altura, o que já sugeri – quer aos norte-americanos, quer ao mundo – é que temos de equilibrar esta questão de privacidade e segurança.”

Quando Obama diz que não pode perdoar Snowden, está a dizer na verdade que não vai fazê-lo sem este passar pelas instituições de justiça norte-americanas. Presidentes anteriores emitiram perdões sem tribunal ou procurador à mistura, conforme lembra Noa Yachot, que dirige a campanha Pardon Snowden.

“O Presidente pode perdoar quem quiser”, escreve Yachot. “Richard Nixon não tinha sequer sido indiciado quando Gerald Ford emitiu um ‘perdão total, livre e absoluto a Richard Nixon por todas as ofensas contra os Estados Unidos que ele, Richard Nixon, cometeu ou pode ter cometido ou participado’ no curso da presidência. Nem os milhares de homens que divulgaram o projecto da Guerra do Vietname, e que foram indultados incondicionalmente por Jimmy Carter no seu primeiro dia de mandato.”

O responsável pela campanha que continua no ar até pelo menos Obama passar o escritório a Trump acrescenta na mensagem escrita antes da entrevista ao jornal alemão: “De certeza que o Presidente Obama conhece a história, mas não precisamos de ir tão longe – ele próprio perdoou três homens irano-americanos no início deste ano no contexto do acordo nuclear com o Irão. Tal como Snowden, estas três pessoas foram indiciados, mas não foram julgados quando foram perdoados.”

Previous O serviço público de rádio tem uma nova imagem
Next És rápido no teclado?