Fazer scroll no Facebook já não serve de desculpa para não votar


O Facebook é um reflexo digital da nossa sociedade. Os assuntos que discutimos entre entre amigos são inevitavelmente os tópicos que abordamos na maior rede social do mundo. A política é um desses temas, com os quais nos cruzamos volta e meia no News Feed, nos grupos ou no perfil de alguém.

De um modo geral, a discussão política não tem descanso, mas, numa altura em que os EUA escolhem o seu Presidente para os próximos quatro anos, os artigos, vídeos e memes/GIFs em torno deste acontecimento político, com repercussões em todo o mundo, são especialmente populares.

Estas não são as primeiras eleições norte-americanas a que o Facebook já assistiu; contudo, em 2008 ou 2012, a rede social não era tão popular como é agora. Neste 2016 foram levantadas algumas questões relativamente à actuação do Facebook, nomeadamente quanto ao poder que a plataforma tem, inadvertidamente ou não, para favorecer um lado político em detrimento de outro.

Enquanto esta análise é feita, na blogosfera e na imprensa, a equipa de Mark Zuckerberg implementou uma inovação, que reforça o Facebook como os “cafés do século XXI” e ao mesmo tempo absorve mais um bocadinho da internet. Agora as páginas de políticos, candidatos e organizações políticas passam a contar com dois novos separados dedicados: Endorsments e Issues. No primeiro podemos saber que amigos e figuras públicas apoiam determinado político, e também partilhar o nosso apoio.

fbpolitica_02

Ao endossar um candidato ou representante, estamos a fazer um post no nosso perfis que, tal como qualquer outro post, pode ser público ou visível apenas para amigos ou grupo de amigos. Se optarmos por uma publicação pública, o político pode decidir destacá-la na sua página na secção “Public Endorsements”. Caso contrário, os teus amigos verão o teu apoio em “Friends’ Endorsements”.

fbpolitica_03

Para tomarmos a decisão de apoiar X ou Y, podemos contar com a ajuda do separador Issues, onde encontramos as principais ideias defendidas numa variedade de áreas, dos direitos civis à energia, sem esquecer a educação, a saúde, os impostos e a política externa.

fbpolitica_04

De acordo com a secção de ajuda do Facebook, os separadores de Endorsments e Issues estão disponíveis para qualquer páginas categorizada como Politician, Political Candidate ou Government Official, e precisam de ser activados pelos gestores dessas páginas. Para já, os separadores podem ser vistos nas páginas dos dois principais candidatos norte-americanos: Hillary Clinton e Donald Trump.

O impacto do Facebook no processo eleitoral não é necessariamente passivo, nem o seu papel está restricto à discussão de ideias e distribuição de informação. Entre 23 e 26 de Setembro, os utilizadores norte-americanos encontraram no topo dos seus News Feeds um aviso para se recensearem nestas eleições. “Já estás registado para votar? Regista-te agora para garantires que tens uma voz nestas eleições”, dizia o pequeno lembrete, reencaminhado os internautas para o site oficial vote.usa.gov. Segundo o Mashable, os recenseamentos aumentaram significativamente durante os dias em que o Facebook mostrou o aviso.

fbpolitica_05

Os utilizadores podem, depois, partilhar um post dizendo que já se recensearam, estando também disponível a opção de voto. Este tipo de publicações podem incentivar outras pessoas, nomeadamente os amigos, a ter um papel político mais activo.

Ilustração de: Ricardo Santos/Shifter

Previous Chegou o trailer pelo qual todos aguardavam: ‘T2 Trainspotting’
Next Nova música dos Lotus Fever é um dos melhores singles lusos do ano