Chevrolet Bolt: um eléctrico que vai ser para todos, não só para alguns


O mercado dos carros eléctricos está de tal forma em expansão que não se torna totalmente descabido afirmar que daqui a umas quantas décadas, os veículos movidos a outra coisa que não gasóleo e gasolina, serão os únicos a circular nas estradas. As marcas têm isso em mente e os carros que têm sido expostos na CES são o espelho de uma adaptação em curso, não só no que aos combustíveis diz respeito mas também naquilo que é a experiência do condutor ao volante – ou não – de um automóvel.

É com essa ideia bem presente que a Chevrolet lança o Bolt. Um carro eléctrico com grande autonomia de bateria que, perante a realidade da economia americana, tem sido percepcionado enquanto um veículo barato – custará mais ou menos 30 mil dólares (impostos incluídos), cerca de 28 mil euros. Nissan Leaf, por exemplo, custa os mesmos 30 mil dólares mas sem contar com os impostos

chevroletbolt_02

A bateria do Bolt sustenta o carro durante uns generosos 320km com apenas um carregamento. Perante os concorrentes já no mercado, este valor significa mais 80 km de autonomia que o Renault Zoe e mais 70 km que o Nissan Leaf, por exemplo. A distância que oferece aparenta ser suficiente para um dia de trabalho da maioria das famílias mas, se ainda assim precisares de percorrer mais uns quilómetros, o Chevrolet Bolt dispõe de uma espécie de “fast charging” que carrega 80% da bateria em apenas 30 minutos. 

chevroletbolt_03

chevroletbolt_04

chevroletbolt_05

chevroletbolt_06

chevroletbolt_07

chevroletbolt_08

O design não é comparável às obras de arte que a Tesla tem vindo a desenvolver. Mas o preço também não. E por 30 mil dólares, o objectivo da Chevrolet é não mais do que oferecer um carro prático e adequado para as viagens diárias que a rotina nos exige sem todos os contras que os carros eléctricos nos têm vindo a habituar – autonomia reduzida, preço, designs estranhos e períodos longos de carregamento. Dessa ideia nasce um carro compacto cujo aspecto nos remete para a ideia de ter nascido do cruzamento entre um Toyota Yaris e um Ford C-Max. O computador de bordo de 10 polegadas é personalizável e o sistema permite-nos incorporar o nosso smartphone. O Bolt permite ainda uma conexão 4G LTE à internet que traz consigo o acesso a novas aplicações e serviços desenvolvidos propositadamente para melhorar a experiência de condução que, com o tempo se torna mais inteligente.  Mas em 2016 já não é preciso dizê-lo, pois não?

A Hyundai não nos traz tantas novidades mas lança uma mão cheia de novas fotografias que nos deixam uma ideia de como será o seu primeiro eléctrico. Chama-se Hyundai Ioniq e será comercializado em 3 variedades: eléctrico, híbrido e plug-in. As imagens reveladas fazem descobrir um carro maior que o Bolt e com um design mais atraente que o da maioria dos carros eléctricos que não foge aos seus traços gerais. Para além das fotografias a marca sul-coreana revela também duas infografias que te dão uma ideia daquilo que se esconderá “por baixo do capô” e que podes consultar aqui.

O Chevrolet Bolt chegará ao mercado ainda durante o ano de 2016. Já o Hyundai, mostra-se a público pela primeira vez em Março, no Geneva Motor Show.

Previous ‘Off The Wall’, de Michael Jackson, vai ser relançado com um documentário de Spike Lee
Next O primeiro telemóvel com o potente Snapdragon 820 vai custar cerca de 500 euros