Mais de mil milhões de pessoas já têm acesso a um serviço gratuito de net


A iniciativa Internet.org do Facebook, que tem como objectivo colocar todo o mundo online, está de boa saúde. Neste momento, mais de um mil milhões de pessoas, em cerca de 20 países, já têm acesso gratuito a um serviço básico de net – possível através do Internet.org Platform.

Esta net básica é oferecida através de uma app que agora se chama Free Basics. Existem mais de 60 serviços disponíveis no Free Basics, que os utilizadores podem “instalar” e usar gratuitamente. Na página inicial, a app oferece uma lista dos serviços que o utilizador usa, sendo que este pode pesquisa e adicionar mais serviços sempre que desejar.

freebasicsfb_02

Foi em Maio que o Internet.org deixou de ser um sistema fechado com um conjunto limitado de serviços para se transformar numa espécie de layer básico/gratuito da internet. Na verdade, o Facebook criou o Internet.org Platform, permitindo a qualquer programador a criação de serviços online gratuitos.

O grande objectivo do Internet.org é dar ao maior número de pessoas possível acesso à economia digital. Uma ligação à Internet pode ser considerado uma necessidade vital, ao permitir acesso a serviços de saúde, educação, finanças e informação, entre outros. Por exemplo, o SmartBusiness, um site que ajuda as pessoas a lançar e a gerir um negócio, recebe agora 5 vezes mais pesquisas diárias  desde que chegou à África do Sul, em Julho, via Internet.org. O BabyCenter e o MAMA fazem chegar a milhões de pessoas em todo o globo informação sobre gravidez e parentalidade, incluindo 3,4 milhões de pessoas através do serviço básico do Internet.org.

A app Free Basics (através da qual, como referido, é possível aceder ao SmartBusiness ou ao BabyCenter) era anteriormente conhecida por Internet.org. O Facebook decidiu mudar o nome para não existirem confusões entre a iniciativa Internet.org e um dos programas/serviços dessa iniciativa, que é a app. A app está disponível na Google Play Store e também no endereço FreeBasics.com.

As portas do Internet.org Platform continuam abertas aos programadores, que agora podem desenvolver serviços que suportem o protocolo HTTPS.

Previous A realidade virtual precisa de conteúdos. O Facebook e a Oculus estão a trabalhar nisso
Next Diário da fronteira VI