Microsoft alarga programa Ativar Portugal às start-ups tecnológicas


A Microsoft anunciou, esta terça-feira, o alargamento do programa Ativar Portugal apresentado em Maio do ano passado, às start-ups tecnológicas. Esta nova fase tem como principal objectivo apoiar a criação e o crescimento de projectos de base tecnológica com elevado impacto e potencial de escala a nível mundial, de modo a reduzir a taxa de mortalidade destas empresas, em colaboração com um vasto conjunto de entidades já estabelecidas.

Com isto pretende-se inspirar e impulsionar uma nova geração de empreendedores, ao mesmo tempo que se estimula a inovação, desenvolvimento económico, competitividade e criação de mais emprego qualificado em Portugal.

Para cumprir este objectivo e colocar Portugal no centro da Europa na área do empreendedorismo, a Microsoft reuniu os melhores parceiros, como aceleradores de start-ups, incubadoras, empresas de capital de risco e business angels. Entre os parceiros, destacam-se nomes como AICEP, APBA, Beta-I, Caixa Capital, DNA Cascais, Espírito Santo Ventures, Faber Ventures, Fábrica de Startups, IPN Incubadora, Portugal Ventures, Startup Braga, Startup Lisboa, Startup Pirates e UPTEC.

Na prática, este ecossistema de parceiros irá apoiar as start-ups em quatro áreas chave: Ferramentas, Pessoas, Negócio e Visibilidade. Assim, as start-ups “activadas” vão beneficiar gratuitamente de:

  • software, ferramentas e serviços cloud da Microsoft, graças ao programa BizSpark;
  • um vasto conjunto de mentores com diferentes especializações e à rede de clientes e parceiros da Microsoft, nacionais e internacionais, para promover os seus negócios e potenciar oportunidades de mercado;
  • uma nova sala – a sala BizSpark – na sede da Microsoft, equipada com as ferramentas necessárias para reuniões de negócio ou apresentações especiais, por exemplo;
  • acesso facilitado a financiamento, quer directamente junto de empresas de capital de risco e business angels, quer através do Programa MAIS/Portugal 2020;
  • oportunidades pontuais de promoção e divulgação das suas soluções e actividades.

A tudo isto soma-se um prémio anual criado pela Microsoft Portugal, que pretende destacar a startup portuguesa com maior potencial de escala.

“Estamos a reunir os melhores protagonistas na área do empreendedorismo e todo um ecossistema de parceiros, criando um modelo de cooperação que vai ajudar as start-ups portuguesas a implementarem modelos de negócio mais eficazes e bem-sucedidos, que ampliam a sua capacidade competitiva e atractividade num mercado cada vez mais global”, explica Caroline Phillips, directora da área de apoio ao empreendedorismo da Microsoft Portugal. “Queremos transformar as start-ups em empresas de escala e impulsionar a criação de uma nova geração de Start-ups Mil Milhões de Dólares. Com isto, estamos também a ajudar a posicionar e a projectar Portugal como um centro de inovação e empreendedorismo de referência internacional, estimulando a inovação, desenvolvimento económico, competitividade e criação de mais emprego qualificado para o País.”

Existem hoje mais de 35 mil start-ups em Portugal, responsáveis pela criação de cerca de 70.000 postos de trabalho e representando, em média, 18% do emprego gerado anualmente, de acordo com o estudo Empreendedorismo em Portugal: 2007-2014, realizado pela Informa D&B. No entanto, apenas duas em cada 10 start-ups conseguem sobreviver e crescer, e é esse cenário que a Microsoft, em conjunto com os seus parceiros, pretende inverter.

Através do Ativar Portugal Startups, a Microsoft quer contribuir para que em 2020 surjam anualmente 50 mil start-ups, que potenciem a criação de 130 mil novos postos de trabalho, com uma taxa de sucesso de 50%, ao contrário dos actuais 20%, ajudando à criação de cinco a dez Start-ups Mil Milhões de Dólares – e com um foco muito particular no mercado tecnológico, que apresenta um potencial único de escala.

Podes obter mais informações sobre o Ativar Portugal Startups aqui. A Muzzley, a Codacy, a Findster, a BeeVeryCreative, a Jobbox, o Tradiio e a Bica Studios são algumas das empresas que integram este novo programa da Microsoft.

O Shifter é gratuito e sempre será. Mas, se gostas do que fazemos, podes dar aqui o teu contributo.